Calor forte e beber pouca água aumentam ocorrência de doenças de verão

insolação

 

Para os amantes do verão, esta época do ano significa praia, férias e muita curtição. No entanto, é preciso tomar cuidado para que os dias não sejam arruinados por doenças oportunistas. Quem abusa do sol, além de queimaduras, pode ter insolação. Comida de procedência duvidosa pode levar a uma intoxicação.

O clínico geral e cardiologista Antônio Carlos Till, diretor do Vita Check-Up Center, explica como se prevenir, identificar ou ao menos suspeitar se algum desses problemas atingiu o organismo.

Insolação

O clínico geral explica que a insolação é provocada pela exposição exagerada ao sol, seja ela direta ou não. “Devemos lembrar que a areia da praia reflete os raios solares, aumentando também a temperatura corporal. Podemos ter queimaduras sérias de pele e elevação excessiva da temperatura do nosso corpo, que não consegue perder calor adequadamente”, diz ele.

Till conta que os sintomas são uma falta de ar intensa, dores de cabeça, náuseas e tonturas, febre, pele quente, avermelhada e seca, extremidades arroxeadas e até perda da consciência.

Para prevenir, ele recomenda evitar a exposição direta ao sol, principalmente nos períodos mais intensos, como das 10h às 17h. Além disso, não fazer exercícios físicos sob o sol, usar protetor solar com FPS mínimo de 30 e reaplicá-lo a cada duas horas ou depois de um mergulho.

É importante ainda usar roupas leves, beber bastante água (3 litros por dia), com o cuidado de consumir água de boa procedência, para não cair em uma intoxicação alimentar.

Desidratação

Till explica que, devido à perda de líquido pelo corpo em função de um aumento da sudorese e também da necessidade de perda de calor do nosso corpo acontece a desidratação.

Quem está desidratado sente sede intensa e fica longos períodos sem ir ao banheiro, A boca, as mucosas e os olhos também ficam ressecados. “Estes sintomas devem ser observados e tratados rapidamente, devido às consequências graves que podem surgir como insuficiência renal, problemas cardiovasculares e outros”, alerta o diretor do Vita Check-Up Center.

A melhor forma de prevenir é beber bastante água, evitar exposição excessiva ao sol e usar roupas leves.

Intoxicação alimentar

As temperaturas altas e a grande umidade favorecem o desenvolvimento de vírus e bactérias. Quem está com diarreia, náuseas e vômitos, febre, dores de cabeça, deve ficar atento e procurar um médico, já que a intoxicação alimentar pode levar a uma desidratação grave.

“Higiene no preparo de alimentos é fundamental”, afirma Till. O cardiologista recomenda que as pessoas evitem comer comidas de rua que não conheçam a procedência, optar por restaurantes e lanchonetes em que os alimentos não ficam expostos.

“Na praia, o ideal é levar seus alimentos de casa, evitando comprar sanduíches, sucos e espetinhos dos vendedores livres. Evite comer maionese ou outros molhos que possam estragar com facilidade”, diz Till. Alimentos crus também entram na lista negra.

Dengue e chikungunya

O mosquito transmissor da dengue e do vírus chikungunya se prolifera mais durante o verão, por isso o cuidado tem de ser redobrado neste período do ano.

“O mosquito vetor da doença se prolifera em altas temperaturas e em água acumulada, o que favorece muito a disseminação da doença no período de verão, em que há mais chuvas e calor”, diz o clínico geral.

Para prevenir a proliferação do vetor dos vírus é necessário manter caixas, tonéis e barris de água bem fechados, colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira sempre bem fechada.

Encher os pratinhos ou vasos de planta com areia até sua borda também é uma medida importante.

Sintomas como febre súbita e dor de cabeça podem ser sinal da dengue clássica ou de chikungunya. O médico elenca:

Dengue clássica (sintomas são parecidos no caso de Chikungunya):

– Febre alta com início súbito;
– Dor de cabeça;
– Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento deles.
– Perda do paladar e do apetite;
– Náuseas e vômitos;
– Tonturas;
– Extremo cansaço;
– Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo;
– Moleza e dor no corpo;
– Dores nos ossos e nas articulações.

Dengue hemorrágica:

Till conta que, na fase inicial, os sintomas são os mesmos da dengue clássica. Depois de alguns dias ou horas, podem surgir os sintomas depois que a febre acabou, como:

-Dores abdominais fortes e contínuas.
– Vômitos persistentes.
– Pele pálida, fria e úmida.
– Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
– Sonolência, agitação e confusão mental.
– Sede excessiva e boca seca.
– Pulso rápido e fraco.
– Dificuldade respiratória.
– Perda de consciência.

“Este quadro pode ser fatal em 24 horas, dependendo de cuidados médicos urgentes”, alerta Till.

a aliviar o desconforto da doença.

Anúncios