Dia Nacional de Combate à Dor de cabeça: conheça as causas e saiba como acabar com as crises

Imagine que seu cérebro é o sensor de alarme do seu carro e a dor é o alarme. Se alguém quebrar o vidro do carro ou forçar a trava para roubar o veículo, é normal (e esperado) que o alarme dispare, certo? Mas, se esse sistema estiver alterado, ele vai disparar por qualquer motivo, até mesmo por uma leve brisa batendo no vidro da janela. É mais ou menos assim que funciona o organismo de quem nasce com uma predisposição a dores de cabeça: diante de uma situação estressante, que não deveria causar dor física, o cérebro acaba reagindo com dor.

Ou seja, vive soltando alarmes falsos, como se o organismo estivesse sendo ameaçado o tempo todo. E esse constante estado de alerta libera muita adrenalina, o que deixa o cérebro ainda mais acelerado, aumenta a pressão sanguínea, trava os dentes e deixa você toda dolorida. Veja se sua dor de cabeça se encaixa nos tipos a seguir:

1. Problemas à vista

Você já passou o dia na frente do computador e mesmo assim não larga o smartphone. Ficar muitas horas diante da tela do notebook ou do celular tenciona os músculos ao redor dos olhos. Não espere ter outra crise para procurar um oftalmologista!

2. Alta tensão

A dor de cabeça do tipo tensional representa mais de 70% dos casos. É moderada, dói dos dois lados da cabeça e não lateja, mas aperta. Não piora com exercícios e raramente causa náuseas. Além da predisposição genética, pode ter uma explicação emocional: stress e ansiedade aceleram a respiração e tencionam os músculos, gerando dor.

3. Deserto do saara

Você está cansada de saber que o ideal é beber cerca de 2 litros por dia – e não apenas quando estiver com sede ou se matando na academia. Mas passar horas sem beber uma gota é uma das principais causas da dor de cabeça. Afinal, 77% do cérebro é composto de água, e, quando ele está desidratado, precisa fazer muito esforço para continuar cumprindo suas funções.

O LABORATÓRIO CELLULA MATER REALIZA MAIS DE 500 EXAMES;

4. Garota-enxaqueca

“Esse tipo de dor de cabeça é hereditário. Quanto mais familiares você tiver com enxaqueca no histórico médico, mais fortes serão as suas crises”, diz Thais. Só quem sofre desse mal sabe quanto é desgastante. A dor é forte, latejante e geralmente atinge apenas um lado da cabeça. Pode provocar náusea, vômito e piora com luz, barulho, jejum ou exercícios físicos. As crises atingem cerca de 20% das mulheres brasileiras.

Plano B

Faça um diário da dor: anote todos os sintomas, tudo o que você comeu até 24 horas antes e as atividades que possam ter desencadeado outra crise. Procure um neurologista e leve suas anotações para que ele descubra o que anda martelando na sua cabeça.

Uma questão de tempo

Selecionamos as novidades que prometem deletar a sua dor em 3, 2, 1… Antes de testar, vá ao neurologista para saber qual é o tratamento mais indicado para você:

Um dia sem dor

Ainda sem nome ou previsão para chegar ao Brasil, a combinação de analgésico sumatriptano e anti-inflamatório naproxeno sódico promete diminuir com mais rapidez a frequência e a força das crises de enxaqueca e dor de cabeça tensional. Os EUA estão fabricando as duas drogas em um único comprimido.

Três meses sem dor

A Anvisa aprovou o uso da toxina botulínica para tratar enxaqueca crônica. Há detectores de dor no couro cabeludo, e quem sofre crises pelo menos 15 dias num mês tem essa área bastante inflamada. A toxina botulínica ajuda a dessensibilizar. As injeções trimestrais são aplicadas na testa, nas laterais e no pescoço.

Um ano sem dor

Uma nova pesquisa da Sociedade Brasileira de Cefaléia mostrou que o efeito da acupuntura contra a enxaqueca dura até um ano e melhora já na primeira aplicação. No estudo, entre 40 e 50% dos pacientes relataram diminuição na intensidade e frequência e cerca de 70% na redução do número de dias com dor.

Anúncios