Câncer: exames essenciais para o diagnóstico precoce

Obter um diagnóstico precoce de câncer é algo essencial para iniciar um tratamento rapidamente, aumentando as chances de sucesso do tratamento e recuperação da doença. A realização de exames em si não é capaz de prevenir o aparecimento de um câncer, mas é capaz de identificar um tumor numa fase tão inicial que pode ser encarada como uma medida preventiva, uma vez que reduzem as chances de complicações e de morte pela doença. A melhor forma de garantir o diagnóstico na fase inicial de um câncer é investir nesses exames chamados de preventivos e de rastreamento. A seguir, especialistas apontam as recomendações de rastreamento para os tipos de câncer mais incidentes na população brasileira. Confira:

Mamografia e ultrassonografia mamária

A mamografia é o exame oficial para diagnóstico do câncer de mama. A recomendação de órgãos como o Instituto Nacional do Câncer (Inca) e a Sociedade Americana do Câncer é de que a mamografia seja feita anualmente a partir do 40 anos. Essa diretriz é válida para mulheres assintomáticas e que não apresentam histórico familiar da doença ou alterações em exames anteriores. Essa faixa etária foi escolhida porque as mulheres entre 40 e 69 anos são as principais vítimas da doença, uma vez que a exposição ao hormônio estrógeno (principal causador dos tumores) está no auge com a chegada dessa idade. A partir dos 50 anos, particularmente, os riscos entram em uma curva ascendente.

Colonoscopia

A colonoscopia é um exame que permite ao médico analisar o revestimento interno do intestino grosso e parte do delgado. A colonoscopia é considerada um dos principais métodos de rastreamento do câncer de cólon e reto, uma vez que consegue identificar alterações da mucosa do intestino que podem evoluir para um câncer – e o tratamento destas já reduz o risco da doença.

Papanicolau e colposcopia

Os exames para diagnosticar HPV e câncer de colo uterino são o Papanicolau e a colposcopia. O câncer de colo do útero tem como principal causa a infecção pelo vírus HPV, por isso os exames servem para acompanhamento de ambas as doenças. Por ser um câncer que demora muitos anos para se desenvolver, os exames podem ajudar no diagnóstico precoce. Fatores como início precoce da atividade sexual, diversidade de parceiros, tabagismo e má higiene íntima podem facilitar a infecção por HPV. 

Dosagem de PSA e toque retal

Para a investigação correta do câncer de próstata, devem ser feitos os exames de toque retal e dosagem do hormônio PSA, além da análise clínica completa e eventualmente ultrassom de próstata por via retal. No entanto, devido a resultados conflitantes em estudos publicados nos últimos anos, o rastreamento do câncer de próstata não é consenso na comunidade médica. O risco de diagnóstico de câncer de próstata durante a vida é de 16,4% e de óbito, 3,7%. Sendo assim, a maioria dos casos de câncer de próstata não trará repercussão na vida do paciente, gerando apenas ansiedade com o diagnóstico. Dessa forma, os prós e contras do rastreamento devem ser discutidos com o urologista, e variam conforme o risco da doença. 

Ultrassonografia transvaginal

O teste serve para diagnóstico do câncer de ovário, e deve ser feito juntamente com os outros exames ginecológicos de rotina. Alterações indicadas na ultrassonografia transvaginal podem levar a realização de outros testes, como tomografia computadorizada do abdômen e pelve, biópsia e exames de sangue.

Dermatoscopia digital

A dermatoscopia digital é o exame para o diagnóstico e prevenção do câncer de pele. Ele foi desenvolvido para que fosse possível, por meio da análise de uma fotografia ampliada das pintas na pele, identificar lesões de risco muito antes do olho do dermatologista.

Radiografia de tórax

O raio-x de tórax deve ser parte da rotina de pessoas com risco aumentado para câncer de pulmão. Este exame é de fácil acesso e que fornece informações muito detalhadas sobre os pulmões, principalmente nos pacientes tabagistas. Se o indivíduo é ou foi fumante, deve visitar um pneumologista anualmente para detecção desse problema. Após a meia-idade a realização do raio-x de tórax se torna mais importante, pois quanto maior o tempo de exposição ao cigarro, maiores os riscos. Qualquer suspeita de anormalidade no raio-x levará à necessidade de se fazer uma tomografia computadorizada do tórax. Caso estes exames evidenciem alterações suspeitas de câncer, será necessária a realização de uma biópsia.

 

Anúncios