Sol das 10h às 16h é melhor para síntese de vitamina D, mas traz riscos

Expor as crianças ao sol no início da manhã e depois das 16h, para ativar a produção de vitamina D no organismo, é um hábito comum dos pais, recomendado por pediatras desde os primeiros dias de vida dos bebês. Mas, hoje, sabe-se que o melhor horário para banhos de sol visando a síntese dessa substância é justamente entre 10h e 16h, período desaconselhado pelos médicos, por conta da maior emissão de raios UVB, que causam danos à saúde.

Os banhos de sol no horário de pico são mais eficientes para a produção de vitamina D

Pensando em uma população que hoje vive, aproximadamente, 80 anos, o risco de desenvolver câncer de pele se expondo ao sol nesse horário é muito grande. Então, a recomendação é que a criança, que ainda vai viver muito, tome banhos de sol diários, mas nos horários seguros.

Cerca de 75% da população tem carência de vitamina D. Por isso, a suplementação em gotas é amplamente recomendada pelos médicos até o segundo ano de vida do bebê. Ainda assim, todas as crianças devem tomar, diariamente, banho de sol nos horários seguros.

TESTE DE PATERNIDADE EM ATÉ 3X NO CARTÃO;

A SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) indica 30 minutos de exposição solar por semana (algo entre seis a oito minutos por dia, três vezes por semana) para lactentes, usando somente fraldas, durante o primeiro ano. Se o banho de sol for feito com vestimentas, apenas com face e mãos expostas e sem uso de chapéu, deve-se aumentar o tempo para duas horas semanais (cerca de 17 minutos por dia).

 

Anúncios