Poluição sonora: Sete dicas para evitar o problema

O ouvido é composto por várias partes muito frágeis, que estão sujeitas a alterações por uma série de fatores. Um dos problemas mais frequentes desse órgão é o surgimento de zumbidos – sons internos que não estão relacionados ao ambiente em que estamos.

Estudos internacionais indicam que o problema tem se tornado mais recorrente em crianças e idosos. Entre as crianças de 5 a 12 anos, sugere-se que 31% tenham zumbido. No grupo dos indivíduos acima de 65 anos, esse percentual salta para 33%.Arte zumbido (Foto: Arte)

O limite seguro de som contínuo para o ouvido é de 80 decibéis. Os fones e outros aparelhos sonoros devem ser usados com o volume até a metade para evitar prejuízos à audição.

É importante também nunca ouvir o som tão alto a ponto de não ouvir o que está a sua volta e não dormir com o fone no ouvido.

Uma boa alimentação também é importante: devem-se evitar frituras, doces e gorduras em excesso. Veja abaixo sete fatores que podem causar o zumbido e sete dicas para evitar o problema:

Zumbido Bem Estar (Foto: Arte)

A poluição sonora é a principal causa de zumbido atualmente. Os médicos começam a apontar que, cada vez mais, cresce a incidência de zumbido em jovens por conta dos aparelhos sonoros.

Também sofrem desse problema ambientes profissionais que expõem as pessoas a zumbidos constantes. É o caso de músicos, DJs, barmen, metalúrgicos, motoristas de ônibus e quem trabalha em gráficas. Quem frequenta baladas também pode estar sujeito a problemas nos ouvidos, se aparecer um zumbido depois da balada, já é um sinal de alerta e sensibilidade. Estresse, envelhecimento e cigarro também podem provocar o distúrbio.

Os tipos mais comuns de zumbido, que estão no ranking das maiores reclamações dos pacientes, são:

– Apito
– Canto da cigarra
– Chiado de água (chuveiro, chuva, cachoeira)
– Barulho de grilo
– Panela de pressão
– Caixa de som (vibração da caixa em volume alto, com som grave)
– Som de abelha

Para calcular o limite de som permitido, é simples: considera-se um volume de 85 decibéis suportável por até oito horas consecutivas. Para cada cinco decibéis além disso, o limite cai pela metade.

Ou seja, para um barulho de 90 decibéis, o limite seguro é de 4 horas de exposição contínua. Um barulho de 95 decibéis só pode ser ouvido por duas horas, 100 decibéis por uma hora, e assim por diante.

Veja  abaixo por até quanto tempo você pode ficar exposto a cada intensidade sonora:

– Até 80 dB – não há riscos
– 85 dB – até 8h de exposição
– 90 dB – até 4h de exposição (motor de ônibus, feira livre)
– 95 dB – até 2h de exposição (latido de cachorro, secador de cabelo)
– 100 dB – até 1h de exposição (liquidificador, choro de bebê, batedeira, aspirador de pó)
– 105 dB – até 30 min. de exposição (obra dentro de casa)
– 110 dB – até 15 min. de exposição
– 115 dB – até 7 min. de exposição (congestionamento intenso, rojão, ficar na balada perto da caixa de som)

Outra dica importante é na hora de limpar o ouvido: trocar as hastes flexíveis, que podem empurrar mais a cera para dentro do ouvido, pela toalha.

Enquete zumbido (Foto: Arte)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios