caminhoneiro_20150723083127-800x500_c

Motorista. Saiba onde fazer o exame toxicológico em Santos

Segundo a lei, todo motorista de caminhão ou que trabalha com transporte de passageiros terá de desembolsar de R$ 295,00 a R$ 380,00 para realizar o exame que detecta o uso de maconha, cocaína ou anfetamina, drogas que estimulam o sistema nervoso e alteram a capacidade de direção.

“Está cheio de noia por aí (dirigindo). Para a gente, que anda direito, é bom”, avalia o caminhoneiro Raimundo Nogueira de Lima, há 42 anos na profissão.
Já o Governo do Estado pensa diferente. Tanto que tenta derrubar na Justiça a obrigatoriedade do exame por entender que não existe comprovação de sua eficácia.

“Por isso, o Detran.SP, diversas entidades médicas e muitos profissionais não são favoráveis a essa medida. Seria mais efetivo realizar um exame na própria via, por exemplo, o que comprovaria se o condutor realmente dirige sob efeito de drogas”, diz Maxwell Vieira, diretor de Habilitação do órgão.

 EXAME TOXICOLÓGICO NA BAIXADA SANTISTA RESULTADO EM ATÉ 8 DIAS ÚTEIS

13923469_1161846917218450_3603004764019688750_o

Procedimentos

Para fazer o exame, o motorista deve ir a um laboratório credenciado (veja lista acima) pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e colher amostras de cabelo e pelos do corpo. A relação dos locais também pode ser encontrada na internet (denatran.gov.br).

O material é enviado para os Estados Unidos e o resultado sai em 15 dias úteis, informa o Detran.SP. O teste tem capacidade de avaliar se o motorista usou algum tipo de droga nos últimos três meses.

“O resultado negativo no teste não significa dizer que o cidadão não fará uso de drogas posteriormente, já com a CNH renovada, e conduzirá veículo sob efeito dessas substâncias”, alega a nota do Detran.SP.

A exigência entrou em vigor em março deste ano, mas estava suspensa em São Paulo graças a uma liminar (decisão provisória da Justiça). No último dia 15 de julho, entretanto, voltou a valer com a cassação da liminar.

Em São Paulo, são cerca de 5,2 milhões de motoristas profissionais precisarão, em algum momento, fazer o teste.

Punições

Quem for reprovado no exame ficará impedido de tirar a CNH e terá de esperar três meses para fazer um novo teste. O motorista que não quiser realizar o exame toxicológico tem a opção de pedir o rebaixamento da categoria ao Detran.SP, retornando para a categoria B, que dá o direito de dirigir automóveis comuns.

EM SANTOS FAÇA SEU EXAME NO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLINICAS CELLULA MATER

LOCAL Rua Carvalho de Mendonça, 247, cj.61, 3223.4422