vacina-gripe-704x400

Campanha de vacinação ocorre entre os dias 19 e 30 de setembro

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, lançou na terça-feira passada (13) a Campanha Nacional de Vacinação, que vai ocorrer entre os dias 19 e 30 de setembro. Este ano, o objetivo é alcançar também os adolescentes, de 10 a 15 anos incompletos, grupo que apresenta maior resistência para se vacinar.

A campanha de vacinação vai atender também menores de cinco anos e crianças de nove. Foram enviadas 19,2 milhões de doses extras de 14 imunizantes para os postos de saúde de todo o país, além das 7,6 milhões que já são destinadas ao mês de setembro.

No lançamento da campanha, Ricardo Barros afirmou que muitos pais de adolescentes acreditam que não há mais necessidade de vacinar os filhos nessa fase da vida, o que não é verdade. Aqueles que quiserem participar precisam apresentar a caderneta de vacinação do paciente a ser imunizado.

Carreta Furacão

Durante a campanha, irão participar 350 mil profissionais de saúde em cerca de 36 mil postos fixos de vacinação. O dia D, que vai representar a mobilização nacional, ficou marcado para o dia 24 de setembro. Para chamar atenção dos pais, crianças e adolescentes, o personagem principal da campanha, o Zé Gotinha, se juntou aos personagens da “Carreta Furacão” em um dos vídeos promocionais.

CARTÃO

Mudanças no Calendário

Quatro vacinas tiveram alteração no esquema nacional de imunização: poliomielite, HPV, meningocócica C (conjugada) e pneumocócica 10 valente. O calendário sofre alterações periódicas em função da situação epidemiológica das doenças. Confira o que mudou:

Poliomielite: esquema de vacinação passou a ser de três doses de vacina injetável e mais duas doses de reforço com vacina oral, a gotinha.  Até ano passado, eram duas injetáveis e três orais.

HPV: Meninas saudáveis de nove anos a menores de 15 passam a receber apenas duas doses, e não três, da vacina de HPV. Estudos indicam que essa dosagem é suficiente para esta faixa etária. Aquelas entre 9 e 14 e com HIV continuam recebendo as três doses

Meningocócica (meningite): reforço que antes era dado aos 15 meses, passou a ser administrado aos 12 meses, podendo ser feito até os 4 anos.

Pneumocócica (pneumonia): passou a ser administrada em duas doses a partir desta campanha de vacinação, e não mais três, após estudos indicarem que o efeito é o mesmo com uma dose a menos.