câncer de prostata

NOVEMBRO AZUL: Rastreamento oportunístico do câncer de próstata

“A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que homens acima de 45 anos procurem o médico para orientação sobre riscos e benefícios do procedimento”
O câncer de próstata é a neoplasia maligna mais frequente do homem e é importante causa de mortalidade em todo o mundo.
O Brasil é um dos países com maior incidência deste tumor maligno. O número de casos tem crescido nas últimas décadas, mas graças a detecção precoce sua mortalidade vem caindo, e é quando ela ainda pode ser curada.

exame de toque
Nos últimos 15 anos houve uma redução de 40% na sua taxa de mortalidade, graças a realização do exame do toque retal e a dosagem no sangue do PSA e, caso um ou outro esteja alterado, o paciente é encaminhado para a realização da biópsia guiada pela ultrassonografia. Esses exames são apontados como alguns dos principais responsáveis por essas mudanças, e é somente através desses exames é que se sabe se o câncer da próstata tem um comportamento pouco agressivo ou não.
Na fase inicial, o câncer de próstata não tem sintoma, o paciente não sente nada e, quando começam os sintomas, em quase 90% dos casos o tumor já saiu da próstata e passou para outros locais (metástases).

LEIA TAMBÉM : CONHEÇA OS PRINCIPAIS SINTOMAS E COMO CURAR O CÂNCER DE PRÓSTATA

FAÇA EXAMES DE SANGUE E URINA REGULARMENTE. CONSULTE SEU MÉDICO

exames
Quando não havia o exame do PSA, até a década de 80, a grande maioria dos tumores malignos da próstata era tratada com a castração (retirada dos testículos).
Algumas Sociedades médicas contra-indicam o rastreamento da população, mas em alguns destes países se tem notado um aumento de tumores mais avançados no diagnóstico, sendo que novos estudos são necessários para uma determinação definitiva sobre o rastreamento dos tumores de próstata.
A Sociedade Brasileira de Urologia mantém sua recomendação de que o paciente do sexo masculino, particularmente com idade superior a 45 anos, procure regularmente (anualmente) o médico, a fim de que juntos discutam e decidam sobre o “rastreamento oportunístico”, avaliando seus benefícios, riscos e limitações, para o diagnóstico precoce do câncer de próstata.

 

Fonte:: PORTAL UROLOGIA